Opiniões…

20220627_221354

- Cansei de caminhar.

- Quer se sentar naquele banco?

- Pode ser… tô exausta.

- Que praça é essa?

- Hum… acredita que eu esqueci o nome?

- Também tô cansada. Ainda mais depois que a gente teve que escapar da confusão.

- Pois é. Imagina entrar de gaiato em briga dos outros.

- Ainda não entendi por que eles estavam brigando.

- Eram duas passeatas, uma pró e outra contra o aborto. Quando se encontraram, já viu.

- Não entendo como alguém pode ser a favor do aborto.

- Nem eu. Vida é uma coisa muito séria, né?

- Demais…

- Mas você acha que é crime?

- O quê?

- Fazer um aborto.

- Pela lei dos homens e pela lei de Deus.

- E no caso de estupro, de risco de vida da mãe…

- Aí é diferente.

- Pois é, também acho.

- Mesmo assim deve ser duro. Não sei o que eu faria.

- É difícil julgar.

- Demais…

- Acho que nem cabe julgamento.

- Mesmo pra quem aborta sem motivos?

- Existe aborto sem motivos?

- Quis dizer os previstos em lei.

- Mesmo assim.

- …

- …

- Ainda tô tentando lembrar o nome dessa praça.

- Depois a gente olha.

- …

- …

- Então você acha que não deveria ser crime?

- Acho.

- Mas você tinha acabado de dizer que não era favorável ao aborto.

- E não sou mesmo.

- Não entendi. É contra mas não acha que é crime?

- Sabe, quem quiser vai abortar de qualquer jeito.

- Talvez, mas penso que, se for uma coisa legalizada, fica fácil demais.

- Fácil ou mais segura?

- Os dois. É que a ideia de interromper uma vida me dá arrepios.

- A mim também. Mas a gente nunca esteve numa situação em que essa seria uma hipótese, né?

- Isso é verdade.

- Pois é.

- É difícil julgar.

- Demais…

– …

- …

- Acho que começa com “P”.

- O quê?

- O nome da praça.

- …

- …

- Até quantas semanas?

- Como assim?

- Se você aprovasse a descriminalização, permitiria até quantas semanas?

- Ah, sei lá. Talvez 12. Mas depende de muitos fatores. Viu o caso da menina que descobriu a gravidez com mais de 20?

- Com 12, 20 ou 30 semanas, a criança é a mesma.

- É a mesma. Mais ou menos desenvolvida.

- Viva.

- Sim, viva. Até que a mãe não a queira mais.

- Eu acho isso tão errado.

- Pode ser. Mas é crime?

- É difícil julgar, né?

- Demais…

- …

- …

- Vamos continuar a caminhada?

- Bora.

- Olha só a placa lá na esquina: Praça das Perspectivas.

- Putz, como pude esquecer? Gosto tanto daqui.

- Eu também…

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta