As mães da minha vida…

20200509_170512

Vivemos mais um dia histórico. O Dia das Mães de 2020 será lembrado pelo uso das máscaras. Hoje, não há como se interpretar os sorrisos, como se identificar o franzir dos lábios e até os discretos beicinhos de impaciência estarão encobertos. Há que se confiar apenas nos olhares.

Não que o uso de máscaras seja realmente uma novidade. A diferença agora está apenas em sua essência. As atuais são feitas de tecido. As de ontem primordialmente de hipocrisia e autocensura. Na verdade, as antigas máscaras eram muito mais desconfortáveis. Elas exigiam atenção constante para que não fossem reveladas, o que quase inevitavelmente acontecia à medida em que as taças se esvaziavam. A leitura dos olhos é bem mais difícil de ser feita e, por isso, inúmeras famílias certamente se sentirão mais à vontade quando se reunirem hoje às suas mesas.

Não é o caso da minha…

As mães da minha vida nunca usaram máscaras. Seus sorrisos sempre foram autênticos e espontâneos, suas insatisfações e desconfortos jamais deixaram de se manifestar, suas emoções sempre transbordaram sem restrições. Nem a máscara de hoje seria capaz de escondê-las.

Autênticas, honestas e sinceras como sempre foram, as mães da minha vida se completaram e se adoraram enquanto puderam conviver. Uma via na outra muito do que queria se tornar. Uma via na outra muito do que gostaria de ter sido. Suas diferenças foram sempre respeitadas, seus limites sempre obedecidos e nenhuma delas precisou lançar mão de máscaras para disfarçar dúvidas ou contrariedades. Assim, os abraços se mantiveram intensos e inteiros até o fim, assim como os olhares de carinho e admiração.

Hoje, tenho a exata noção do quanto meus filhos estão entre as pessoas mais privilegiadas deste mundo. Afinal, eles aprenderam com a avó que as máscaras de então, ao contrário das de hoje, não lhes trazem benefício algum. Eles aprendem diariamente com a mãe que nenhuma máscara é capaz de impedi-la de ler seus corações.

Quanto a mim, agradeço todos os dias à Vida pelo sorriso pleno que me acompanha a cada instante. O sorriso que prepara nossos filhos para as armadilhas que as máscaras do mundo teimam em esconder. Ao mesmo tempo, serei eternamente grato por aqueles lábios pródigos em transformar beijos em bálsamos, desde quando me aninhava e dormia em seus braços, até o dia em que fui eu que a beijei pela última vez.

Mães da minha Vida, sigo amando vocês mais a cada dia!

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta