Legado pra esquecer…

20220205_165045

- Aonde a senhora pensa que vai?

- Ué, ver o ex-presidente, é claro.

- Nome?

- Meu filho, você me conhece. Venho aqui toda semana.

- Seu nome.

- Meu nome? Você deve estar de brincadeira. Fui presidenta disso aqui por quase 6 anos.

- Nunca vi a senhora na vida.

- Ah, já entendi, é pegadinha, né? Pronto, já ri, agora me deixe entrar.

- Só pessoas autorizadas podem passar. O ex-e-próximo-presidente não recebe qualquer uma.

- Olha, você me respeite. Eu não sou qualquer uma. Já fui uma das mulheres mais poderosas do mundo.

- Todo mundo agora vem com esse papinho. Há pouco enxotei daqui um que jurava ter sido o melhor economista de todos os tempos.

- O Guido?

- Não, o Dr. Guido tá lá dentro trabalhando com o chefe. É um gênio das finanças. Tô falando de um que disse ter comprado uma refinaria a preço de banana.

- Nem sei o que é refinaria.

- Claro que não sabe. E já pode ir embora.

- Eu não saio daqui enquanto não for recebida pelo presidente.

- Então serei obrigado a chamar a segurança.

- Não, você vai chamar é a Gleisi, a Maria do Rosário, a Benedita. Elas vão me deixar entrar. Fizemos um pacto de sororidade.

- Essas aí só fazem o que o presidente manda. Sororidade é só da imprensa pra fora.

- Você tá querendo me dizer que foi o próprio presidente quem proibiu a minha entrada?

- A senhora chegou a essa conclusão sozinha? Andou treinando, né?

- Vou ligar pra ele agora mesmo.

- Não adianta, ele não vai atender. Está aguardando o Dr. Geraldo pra uma reunião muito importante.

- Quer dizer que aquele picolé de ch…

- Senhora, aqui não são tolerados insultos aos nossos membros.

- Membros? O cara sempre foi nosso inimigo e tem livre acesso. Eu, que lutei pelo partido, que sofri um golpe, sou barrada.

- Pois é, a vida é injusta mesmo. Agora ponha-se daqui pra fora.

- Isso não vai ficar assim. Vou defender meu legado até o fim.

- Olha, se a senhora ficar quietinha no seu canto, garanto que o presidente saberá reconhecer o seu silêncio mais tarde.

- Ele disse isso?

- Não, é que eu trabalho pra ele desde os tempos do seu Celso. Sei como as coisas funcionam.

- Ah… quando o Geraldo chegar, diga que mandei um beijo, tá bom?

- Pode deixar, senhora. Pode deixar.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta