Uso compulsório…

- Você não vai usar?
– Claro que não.
– Mas assim você não entra.
– Não quero nem saber. Cadê a minha liberdade de ir e vir?
– Ninguém está te proibindo de ir a lugar nenhum.
– Estão sim. Tô sempre sendo impedido de entrar. Nem aqui eu posso.
– Você está sendo impedido porque não está usando.
– Pois é. Estão cerceando a minha liberdade.
– E o respeito às outras pessoas, não conta?
– Não respeito gente frouxa, covarde e submissa.
– Frouxa, covarde e submissa por quê?
– Ora, por aceitar passivamente essas imposições. Fossem por estes estaríamos vivendo no comunismo.
– Cuidado e respeito não têm nada a ver com comunismo.
– Essa gente é que não se dá ao respeito.
– Eu também devo ser comunista pra você.
– Se a carapuça serviu…
– Bom, então vai ficar de fora.
– Ah, mas não vou mesmo. Nem que tenha que chamar a polícia.
– Você acha que a polícia vai lhe dar razão?
– Deveria. Duvido que um policial aprove essa barbárie.
– Não importa. Regras existem para serem seguidas.
– Maldito STF comunista. Se tudo estivesse nas mãos do presidente nada disso estaria acontecendo.
– Pois é, vai usar ou não vai?
– Não!
– Acho que sei qual é o seu problema. Você não tem nenhuma, né?
– Claro que eu tenho. Só não quero usar.
– Então mostra.
– Não preciso te provar nada.
– Tá escrito ali que não precisa ser grande.
– Já disse que não.
– Bom, eu estou entrando.
– Eu que não perco o meu tempo com isso.
– Beleza. A gente se vê em outras por aí…

“Página do Fernando. Exige-se um mínimo de capacidade de discernimento para participar”

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>